sábado, 9 de abril de 2016

Como descobrir sua real beleza e sentir-se linda

Estava lendo sobre a Playboy da Luana Piovani aqui (clique), onde fala sobre o uso excessivo de photoshop no ensaio dela, muitos retoques e tal. Eles compararam com as fotos que ela e o marido postam nas redes sociais, e constataram que foi criada uma Luana diferente da real.




Luana de mentira e Luana de verdade


Né? A Luana Piovani, alta, loira, corpo perfeito, linda, linda, linda, mas mesmo assim eles a modificam totalmente para a revista. Criam uma pessoa digital. Irreal.




E aí nós, simples mortais, nos sentimos feias porque não somos como as pessoas da TV/revistas/cinema. Mas vocês percebem? Nem as próprias atrizes/modelos/cantoras são.


Já me disseram que eu pareço uma atriz hahaha!


Nós somos humanos, normais. Todos com características diferentes. Mas nós nos achamos feias porque ficamos tentando atingir alvos inexistentes. Há pessoas altas, baixas, magras, gordas, loiras, negras, morenas, ruivas...



Existem algumas pessoas que vão à academia todo dia, malham, correm. Fazem dieta. E muitos não conseguem. E sentem-se inferiorizados com isso.



A questão é: Esse sentimento de inadequação apesar de sermos a maioria e  não a minoria gata e sarada movimenta a indústria bilionária das dietas, cirurgias estéticas, etc. É interessante que você se ache feia, eles lucram com isso.



Já pensou a Luana Piovani folheando a revista dela e pensando: Tenho que fazer dieta/plásticas/etc!!! Claro que não!!! Afinal a mulher retratada ali é um insulto a beleza inquestionável dela. Uma coisa irreal, inexistente.


Luana sendo linda e super preocupada com a opinião alheia


Achar-se mais feia que os outros é até uma forma de se achar, sabia? É se achar mais que os outros. 



Nós somos normais, comuns. A maioria né? Há pessoas lindas, maravilhosas. Mas são poucas, e mesmo essas eles modificam digitalmente. Nós nos destacamos quando achamos o nosso melhor. Quando nos sentimos bem dentro da nossa própria pele.



Aí aparecem mulheres lindas como a Melissa McCarthy e a Adele, e as pessoas ficam: Se não fosse gorda...etc. Mas elas sambam na sua cara, são mulheres lindas sim! Com características próprias, e pronto.



Adele e Melissa sendo elas mesmas: lindas e maravilhosas


Elas são lindas e maravilhosas, e nós somos uns manipulados subservientes a uma indústria bilionária que lucra sobre a nossa ilusão e preconceito.




Quando você vê Adele ou Melissa e diz: Ela é linda APESAR de ser gorda, MESMO sendo gorda, você está sendo contraditório. Elas são lindas, e emagrecer não a tornariam mais maravilhosas, só mudaria uma de suas características.


A maioria das pessoas não é maravilhosa, mas qualquer pessoa com maquiagem e roupas adequadas que destaquem seus pontos fortes e camuflem os "defeitinhos" ficará mais bonita. Não acho errado dietas/plásticas/etc para melhorar a aparência. Mas para tornar-se uma você mais bonita, não estabelecer um alvo inexistente e inalcançável, baseado em uma pessoa digital.




Muitos me perguntam como eu tenho coragem de publicar looks do dia, etc. Não acho que é coragem, acho legal ver dos outros, gosto que meus amigos vejam, assim como gosto de vê-los, já que não posso encontrá-los pessoalmente sempre. Qual o problema? 


Viver, e não ter a vergonha de ser feliz. Mesmo sendo comum.


A vida digital é agregadora. Claro que muitos me criticam e humilham, mas a esses desejo o melhor, que encontrem um psicólogo e cuidem de sua vida.




O problema é que as pessoas se acham inferiores, e acham que eu sou inferior e não deveria mostrar minha roupa/maquiagem, e muitos sentem-se melhor tentando rebaixar quem se atreve a mesmo sendo normal, postar fotos de roupas etc hahaha!



Eu gosto, meus amigos gostam, e quem não gosta é só não ver, fim.





O que você está esperando para curtir a vida, se jogar, se arrumar, sorrir, paquerar? Ser a Luana Piovani/Gisele Bundchen/Juliana Paes/etc? Desencana! Se olhe, se arrume, se curta! Arrume seu cabelo, maquie-se. 






Viva e deixe os outros viver. Se arrume, garota! A vida é curta!

domingo, 26 de julho de 2015

Conhecendo, entendendo, perdoando e emagrecendo

Quando se trata dos outros, parece que por enxergar de fora temos uma visão a distância que permite analisarmos todos os lados e entendermos melhor, e perdoarmos com  mais facilidade. Ele fez aquilo porque foi criado de tal maneira. Ele é assim porque o pai o maltratava. E etc etc etc.

Eu sou assim porque eu sou assim


Mas quando se trata de nós mesmas e do nosso corpo, não temos a mesma indulgência. Atribuímos os nossos descontroles alimentares à preguiça, achamos que temos um desvio de caráter, nos sentimos mal por cometer o humano, precioso e necessário ato de comer. Principalmente nós, mulheres. Por que?

Nesse post aqui (clique) falei um pouco sobre as nossas características que permaneceram, que o nosso corpo foi feito para armazenar energia para nos proteger do frio e para corrermos dos predadores, e que como não precisamos mais usar nosso armazenamento para essas coisas, acabamos acumulando em forma de gordura.

Mas temos outros fatores ainda que contribuem para nos desequilibrar. a ansiedade nossa de cada dia.(leia aqui  sobre ansiedade)

Uma vez eu li que nós temos, digamos, uma cota diária de paciência.  A noite cai, nós dormimos e amanhecemos renovadas, o cansaço vai embora e a nossa "cota" está recheada, pronta para usarmos.

Mas, o que acontece é que devido novamente às modernidades como luz elétrica, internet, televisão e etc, nosso sono já não é completo e restaurador. E aí somam-se as preocupações que habitam nossos pensamentos,os ruídos noturnos de trânsito etc...bom o nosso sono restaurador fica prejudicado, e a nossa cota de paciência amanhece não tão recheada, mas, enfim...

De cabelo em pé porque não conseguir ir ao cabeleireiro

Aí acordamos e vamos trabalhar, ou à escola, continuamos gastando nossa paciência com os barulhos do trânsito, com o próprio trânsito, aí gastamos mais da nossa cota em nossas atividades, por mais prazerosas que elas sejam (se você odiar seu trabalho, imagine sua cota acabando mais rapidamente), aí retornamos para casa com  mais trânsito, etc, e temos que providenciar jantar, limpeza, ou ir à faculdade etc...

A nossa cota de paciência foi sendo gasta, e ficamos na reserva, que utilizamos para permanecer racionais e não socar as pessoas irritantes, jogar a louça no chão e gritar loucamente. 

Mas na hora em que aparecem coisas comíveis, nós simplesmente comemos. Você entende, não porque somos umas descontroladas, não porque não temos vergonha na cara ou nada disso.

Comemos sem pensar, sem prazer, sem critério, porque não temos nenhum tipo de força para raciocinar, atendemos apenas ao nosso instinto pré-histórico de sobrevivência.

"Vou comer esse bolo inteiro porque vou ter que limpar a bagunça da festa depois..."

E se acontece um acidente, um imprevisto, ou uma fatalidade então...aí nos descontrolamos geral...ao invés de sermos fontes de ajuda nos tornamos mais um problema com nossa histeria...


E como mudar isso? Como aumentar ou não gastar tanto a nossa cota diária de paciência?

Quando você percebe o problema, consegue achar a solução. Evidentemente combatendo a ansiedade, fazendo atividade física que libera a adrenalina acumulada, dormindo melhor, trabalhando com prazer e próximo à sua residência, etc, você naturalmente já está mais equilibrada.

É difícil chegar a isso? Sim. É impossível? Claro que não.

Todos nós temos problemas, sabe? De maior ou menor nível. 

Comer tem que ser bom, prazeroso. Você vai comer uma coisa que você quer e gosta, vai sentir o sabor e a textura, sem pressa, mastigar devagar e ficar saciada. É diferente de comer qualquer porcaria engolindo rápido sem perceber porque está nervosa ou ansiosa.


Enfrente suas dificuldades de frente. Tente resolver as coisas que acabam com a sua paciência. Promova o aumento da sua cota, seja feliz do jeito que der, sem se preocupar por antecipação.

Atividades físicas que te agradem, como dança do ventre, lutas marciais, corrida, sei lá, contribuem muito! Não precisa ir à academia fazer musculação odiando.

Talvez eu acabe com a cota de paciência dos outros cantando, mas a minha aumenta demais

Ou um curso de música, de tricô, de cinema, de história da arte. Há cursos grátis e próximos à sua casa, é só procurar. Não coloque obstáculos onde eles não existem, me ajude a te ajudar hahaha!

Hoje o arroz queimou, vou fazer uma selfie

Cuide-se, perdoe-se e seja feliz. O que não está em seu controle, não tem jeito. Mas se entender, se ajudar, ter uma vida equilibrada apesar dos problemas, transformar a alimentação em prazer e não em válvula de escape está em suas mãos.

Acorda, seja sua melhor amiga, e desfrute do lado bom da vida. Beijinhos.